16 de setembro de 2019

Ana Hickmann pede orações e chama cunhado de herói antes de novo julgamento dele em MG

A apresentadora chamou a ação do cunhado de legítima defesa e lembrou que ele já foi absolvido em primeira instância. "Mas não é possível que alguém que livrou a família de ser morta, ainda tenha que passar por isso. Todos devemos ter o direito de defender a própria vida e daqueles que amamos", completou.


Por Folhapress Publicado 10/09/2019
Reprodução (Divulgação)

 A apresentadora Ana Hickmann, 38, usou as redes sociais nesta terça-feira (10) para pedir orações e defender seu cunhado, Gustavo Corrêa, que voltará a ser julgado pelo Tribunal de Justiça de Minas. Ele é acusado de homicídio pela morte de um homem que atacou a artista em um hotel em maio de 2016. 

Corrêa, que já foi absolvido em primeira instância, atirou três vezes contra Rodrigo Augusto de Pádua, que, segundo inquérito, entrou no hotel armado e chegou a fazer reféns o empresário, sua mulher e a apresentadora. O suposto fã teria se irritado após ser bloqueado por Hickmann numa rede social. 

No quarto de hotel, Pádua xingou e ameaçou os três, de acordo com o inquérito policial. A apresentadora chegou a desmaiar, o que irritou o invasor, que atirou na direção dela, acertando Giovana. Após o tiro, Corrêa saltou sobre Pádua para tomar a arma. Já no chão, ele pegou o revólver e deu três tiros no homem.

“Mais uma vez temos que reviver a dor e a tortura que passamos naquele quarto de hotel, este pesadelo parece que não tem fim. O Gustavo foi um herói, nos salvou. Foi Deus quem deu coragem a ele para enfrentar aquele psicopata armado, que atirou contra a minha cabeça e acabou acertando Giovana”, disse Hickmann no Instagram. 

A apresentadora chamou a ação do cunhado de legítima defesa e lembrou que ele já foi absolvido em primeira instância. “Mas não é possível que alguém que livrou a família de ser morta, ainda tenha que passar por isso. Todos devemos ter o direito de defender a própria vida e daqueles que amamos”, completou. 

Segundo o TJ-MG, Corrêa foi absolvido sumariamente em primeira instância, mas o Ministério Público recorreu. Na tarde desta terça, o recuso deverá ser avaliado por três desembargadores, que poderão concordar com o veredito inicial ou determinar que o cunhado da apresentadora vá a júri popular.