24 de agosto de 2019

Tarde deste sábado foi a mais fria do ano em São Paulo

A combinação do excesso de umidade, chuva, falta do sol e ar frio de origem polar vai manter a temperatura baixa em todo o estado.


Por Folhapress Publicado 05/08/2019
Reprodução (Divulgação)

 Após a chegada de uma frente fria que derrubou os termômetros em São Paulo, a tarde deste sábado (3) foi a mais fria do ano na capital paulista, com 12,6°C de média na cidade. No bairro de Parelheiros, no extremo zona sul, a temperatura chegou a 10,7°C.

Até então, a tarde mais fria havia sido a do dia 5 de julho, com 14,5°C de média na cidade e 13,2°C em Parelheiros, segundo o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas), da prefeitura. 

A combinação do excesso de umidade, chuva, falta do sol e ar frio de origem polar vai manter a temperatura baixa em todo o estado. Será um fim de semana úmido e com sensação de frio constante.

De acordo com os meteorologistas, há previsão de chuvisco ao longo do dia e as taxas de umidade relativa do ar superam os 80%, mas não deve ter geada. 

No domingo (4), o frio continua. Será mais um dia com pequena amplitude térmica e elevados índices de umidade, o que vai ajudar a melhorar a qualidade do ar. A mínima prevista é de 9°C e a máxima de 14°C.

Na segunda-feira (5) começa a esquentar, embora a sensação de frio ainda predomine. O amanhecer será de céu nublado, mas à tarde o sol aparece. A previsão é que os termômetros oscilem entre 10°C e 18°C. Eles devem aumentar mesmo a partir de quarta-feira (7).

O tempo virou do avesso na sexta-feira (2), com uma queda de 9ºC em meia hora. Às 15h, a temperatura registrada no aeroporto de Congonhas era 28ºC.

Quando o vento frio chegou, a temperatura despencou para 19ºC, às 15h30.
Isso depois de a cidade registrar a tarde mais quente desde meados de maio. No mesmo horário, o Inmet mediu 29,1°C no Mirante de Santana, na zona norte. Até agora, esta foi a maior temperatura do inverno, que começou em 21 de junho, mas também a maior na região desde 11 de maio.

Todas as capitais do Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Rondônia e Acre estão sendo impactadas pela forte massa de ar frio polar. Algumas poderão ter novos recordes de frio nos próximos dias.

Além de São Paulo, Curitiba e Rio de Janeiro estão entre as capitais que podem ter a tarde mais fria do ano neste fim de semana.

Segundo o Inmet, o recorde no Rio pertence ao dia 17 de julho, quando a temperatura máxima chegou a 20,6°C. A previsão deste domingo é mínima de 14ºC e máxima de 20ºC. 

No Sul, o frio intenso e o excesso de umidade já proporcionaram a ocorrência de chuva congelada em cidades do Rio Grande do Sul na manhã da sexta-feira, como Gramado e Farroupilha. Na serra de Santa Catarina, a região de São Joaquim teve chuva congelada e flocos de neve.

A noite e o amanhecer dos próximos dias serão congelantes e com previsão de geada generalizada no domingo.   

Até então, a tarde mais fria havia sido a do dia 5 de julho, com 14,5°C de média na cidade e 13,2°C em Parelheiros, segundo o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas), da prefeitura. 

A combinação do excesso de umidade, chuva, falta do sol e ar frio de origem polar vai manter a temperatura baixa em todo o estado. Será um fim de semana úmido e com sensação de frio constante.

De acordo com os meteorologistas, há previsão de chuvisco ao longo do dia e as taxas de umidade relativa do ar superam os 80%, mas não deve ter geada. 

No domingo (4), o frio continua. Será mais um dia com pequena amplitude térmica e elevados índices de umidade, o que vai ajudar a melhorar a qualidade do ar. A mínima prevista é de 9°C e a máxima de 14°C.

Na segunda-feira (5) começa a esquentar, embora a sensação de frio ainda predomine. O amanhecer será de céu nublado, mas à tarde o sol aparece. A previsão é que os termômetros oscilem entre 10°C e 18°C. Eles devem aumentar mesmo a partir de quarta-feira (7).

O tempo virou do avesso na sexta-feira (2), com uma queda de 9ºC em meia hora. Às 15h, a temperatura registrada no aeroporto de Congonhas era 28ºC.

Quando o vento frio chegou, a temperatura despencou para 19ºC, às 15h30.
Isso depois de a cidade registrar a tarde mais quente desde meados de maio. No mesmo horário, o Inmet mediu 29,1°C no Mirante de Santana, na zona norte. Até agora, esta foi a maior temperatura do inverno, que começou em 21 de junho, mas também a maior na região desde 11 de maio.

Todas as capitais do Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Rondônia e Acre estão sendo impactadas pela forte massa de ar frio polar. Algumas poderão ter novos recordes de frio nos próximos dias.

Além de São Paulo, Curitiba e Rio de Janeiro estão entre as capitais que podem ter a tarde mais fria do ano neste fim de semana.

Segundo o Inmet, o recorde no Rio pertence ao dia 17 de julho, quando a temperatura máxima chegou a 20,6°C. A previsão deste domingo é mínima de 14ºC e máxima de 20ºC. 

No Sul, o frio intenso e o excesso de umidade já proporcionaram a ocorrência de chuva congelada em cidades do Rio Grande do Sul na manhã da sexta-feira, como Gramado e Farroupilha. Na serra de Santa Catarina, a região de São Joaquim teve chuva congelada e flocos de neve.

A noite e o amanhecer dos próximos dias serão congelantes e com previsão de geada generalizada no domingo.