24 de agosto de 2019

Casa em que George Michael morreu no dia de Natal é vendida por R$ 16 milhões

A residência em Oxfordshire foi onde o cantor morreu e passou a ser visitada por milhares de fãs nos anos seguintes a sua morte para deixar flores e declarações de amor ao músico.


Por Folhapress Publicado 13/08/2019
Reprodução (Divulgação)

 A casa do cantor britânico George Michael foi vendida pela família do músico por 3,4 milhões de libras (R$ 16,4 milhões). A venda da propriedade acontece dois anos e meio depois da morte de George Michael, que morreu no Natal de 2016 aos 53 anos.

De acordo com o jornal britânico Mirror, a casa foi comprada por um casal, que já morava na região, no mês passado. Eles teriam se mudado nas duas últimas semanas.

A residência em Oxfordshire foi onde o cantor morreu e passou a ser visitada por milhares de fãs nos anos seguintes a sua morte para deixar flores e declarações de amor ao músico. 

John Reid, advogado que atua em nome da família e do patrimônio de George Michael, confirmou ao jornal que a casa do século 16 em Goring-on-Thames foi vendida e pediu que respeitassem a privacidade dos novos proprietários. 

“Era um lugar que ele [George Michael] amava, ao menos pela privacidade que isso lhe proporcionava”, disse Reid ao Mirror. “Por isso, pedimos gentilmente que os novos proprietários tenham sua privacidade respeitada e possam desfrutar da propriedade como ele fez”, completou. 

Ainda segundo o jornal britânico, fãs haviam criado uma petição pedindo à família de George Michael para transformar a casa em um museu -já haviam mais de 2.500 assinaturas. Fã do cantor, Linda Allen disse em um fórum para fãs que conhecia os compradores: “Conhecemos o adorável homem que comprou a casa de campo… e ele prometeu que vai cuidar bem disso”.

Nascido Georgios Kyriacos Panayiotou, filho de uma britânica e um imigrante cipriota grego, George Michael foi encontrado morto em seu quarto por seu companheiro, Fadi Fawaz, no dia de Natal de 2016. Ele havia deixado 97,6 milhões (R$ 470,6 milhões) e a maior parte de suas propriedades para as irmãs, Yioda e Melanie. 

Ele foi alçado à fama nos anos 1980 como parte do Wham!, duo formado com Andrew Ridgeley, seu colega de escola. Em cinco anos, a dupla emplacou sucessos nas paradas, como “Wake Me Up Before You Go-Go”, “Careless Whisper” e “Everything She Wants”, até sua dissolução, em 1986.

Hoje tido como um dos grandes símbolos gays, George Michael só passou a falar em público sobre sua orientação sexual depois de ser detido, em abril de 1998, por ter sido flagrado com outro homem num banheiro público de Beverly Hills.

Segundo ele, foi um ato “inconscientemente deliberado” de sair do armário.
O episódio depois rendeu inspiração para uma canção sua, “Outside”, em que ele canta: “Let’s go outside/ In the sunshine” (vamos para fora, sob o sol). No videoclipe, policiais aparecem se beijando, em alusão ao agente disfarçado que o prendeu no banheiro público.