18 de novembro de 2019

Lexa conta como perdeu 12 kg e diz torcer para mãe fazer mais sucesso que ela no Carnaval

"Não tomei nenhum remédio, só segui uma reeducação alimentar. Estava tão ruim que quando meu corpo recebeu coisas que ele merecia foi um choque e perdi peso. Mas não passei fome."


Por Folhapress Publicado 10/11/2019
Reprodução (Divulgação)

Lexa, 24, não vê a hora de chegar o Carnaval de 2020 para que ela possa fazer a sua estreia na elite da folia, agora como rainha de bateria da Unidos da Tijuca, no Rio de Janeiro. Até chegar o dia, porém, a artista segue uma rotina de dedicação e força de vontade para a festa.

A cantora conseguiu emagrecer 12 kg em dois meses e revela qual o segredo para isso. “Preparação muda porque eu costumo perder peso fácil. Perdemos um quilo por ensaio, então a alimentação muda. Agora, eu sou a rainha das frutas.”

Fora os ensaios, a artista afirma que teve de mudar de hábitos para dar conta de tantos compromissos. Ela explica que estava sete quilos acima do peso que ela considerava ideal, e isso a prejudicava no dia a dia. “Não tomei nenhum remédio, só segui uma reeducação alimentar. Estava tão ruim que quando meu corpo recebeu coisas que ele merecia foi um choque e perdi peso. Mas não passei fome.”

“O problema não era pelo visual, mas porque eu não estava conseguindo cumprir minha agenda de shows e compromissos, o colesterol era alto e eu estava comendo sem parar”, completa.

A cantora diz que não pretende perder mais peso, já que considera estar com o corpo saudável agora. Quem também se mantém firme na academia e na dieta é a mãe de Lexa, Darlin Ferrattry, 39. No ano que vem, Lexa vai desfilar pela Unidos da Tijuca, e a mamãe mostrará o samba ao assumir o antigo cargo da filha, o de rainha de bateria da Unidos de Bangu.

Para Lexa, dividir o protagonismo com a pessoa que mais ama no mundo é um prazer. A rivalidade em família inexiste. “Se ela fizer mais sucesso que eu, vou achar ótimo, torcemos uma pela outra. Ela é rainha a mais tempo que eu, é a rainha da minha vida. Se eu pudesse escolheria ela para brilhar mais do que eu”, se derrete a filha.

A trajetória de Lexa e Darlin no Carnaval é antiga. Lexa construiu uma história no samba desde pequena, quando já aprendia a tocar tamborim. Darlin desfilava por escolas de samba e trouxe essa paixão para a menina. O ano de 2020 será o primeiro de Lexa na elite do samba.

“Tenho muito a ver com a Unidos da Tijuca, desde o time de berço deles que é o Vasco (mesmo clube pelo qual ela torce) até o carinho que eles têm pelo público LGBT. É a escola que mais tem componentes gays, e isso vai ao encontro do que acredito, estou animada”, diz Lexa, que defende que os homossexuais conquistem cada vez mais respeito e direitos.

Engana-se quem pensa que o envolvimento de Lexa com o Carnaval a afasta dos afazeres na música. Pelo contrário, ao mesmo tempo em que se prepara para a folia, a artista mantém a carreira em efervescência. Até o final deste ano, ela fará duas colaborações, uma com Anitta, e outra, com Jottapê. “Os clipes já estão gravados. Com a Anitta, será ‘Combate’, e com Jottapê, ‘Bate Palma’. No ano que vem, quero fazer um disco de inéditas. Aguardem”, conclui Lexa.